Início Dados do Município Galeria de Imagens Buscar Matéria Áudio Notícias Fala Cidadão Serviços Concursos Portal Transparência
Escola de Caarapó lança projeto de preservação ambiental
25 de maio de 2015 às 10:05
Foco do Projeto Cooperóleo é a coleta de óleo usado pela população; produto poderá ser utilizado na fabricação de biodiesel
 
A vice-prefeita Marinalva de Souza Farias da Costa, que representou o prefeito Mário Valério, discursa no ato de lançamento do Projeto Cooperóleo, em Caarapó - Foto: José Carlos
Com o objetivo de promover cidadania e gerar consciência sobre sustentabilidade, mediante a realização de ações educativas que gerem mudança de mentalidade da comunidade em relação aos problemas ambientais, a Escola Municipal Cândido Lemes dos Santos, de Caarapó, lançou na semana passada o Projeto Cooperóleo, em evento realizado na Praça Mário Martines Ribeiro – a Praça Central da cidade.
 
O ato foi prestigiado pela vice-prefeita Marinalva de Souza Farias da Costa (DEM), que representou o prefeito Mário Valério (PR) – que estava fora da cidade cumprindo compromissos previamente agendados -, pelo vereador Beto Nakayama (PMDB), representante oficial do Poder Legislativo local, vereador Pipoca (DEM), secretária municipal de Educação e Esportes, Ieda Marran, secretários municipais, representantes de empresas parceiras do projeto, a exemplo do supervisor da Unidade da Sanesul de Caarapó, Wilson Beraldo Pereira, da gerente da Unidade Sicredi Caarapó, Audilene Recco Silva, do encarregado administrativo-financeiro da Coamo, Aderson Luis Cantéri, do diretor da escola promotora do evento, Antônio Carlos Cáceres, das coordenadoras escolares Rozangela Borges Leôncio e Seila Marin dos Santos, da coordenadora do projeto e palestrante, professora Andréia Vieira Matos, além do palestrante Edérgio Peromalle Araújo, da Sanesul, da presidente do Rotary Club, Cleci Veronezzi, comunidade escolar e convidados.
 
O projeto
O Projeto Cooperóleo tem como foco a coleta do óleo de cozinha usado. A coordenação do projeto orienta que o produto deve ser acondicionado em garrafas pet, devendo ser entregue na instituição de ensino, que passará a fazer a coleta quinzenalmente.  O óleo coletado é vendido para uma empresa especializada. O dinheiro arrecadado será revertido em benefícios para a escola.
 
A justificativa apresentada para a implementação do Cooperóleo registra que o Brasil é um dos maiores produtores mundiais de soja e possui grandes perspectivas para a produção de outras sementes, que podem ser transformadas em óleo comestível. O óleo de cozinha, produzido a partir dessas sementes e utilizado na preparação de alguns alimentos de fritura, traz grandes benefícios à saúde humana. Entretanto, há uma crescente preocupação em relação ao meio ambiente e o aumento do uso do óleo de cozinha, frequentemente utilizado em frituras, sem falar no mal que o excesso pode causar ao organismo, também produz dano ao meio ambiente, se descartado de forma inadequada.
 
A iniciativa de instituir o Projeto Cooperóleo na Escola Municipal Cândido Lemes dos Santos, com a proposta de reaproveitamento do óleo, é uma ação educativa que visa investir numa mudança de mentalidade da comunidade em relação aos problemas ambientais, considerando que grande parte da comunidade escolar pratica um descarte inadequado do óleo de cozinha. Nesse sentido, o incentivo de coleta de óleos e gorduras de origem vegetal ou animal de uso culinário objetiva a preservação do meio ambiente, através de uma simples ação: a coleta desse produto para futura reutilização, como a fabricação do biodiesel, uma espécie de combustível menos poluente.
 
A Escola Cândido Lemes dos Santos, localizada no município de Caarapó, cuja captação da água potável é proveniente do subsolo através dos poços artesianos, fica à mercê das atitudes que sua população tem em relação ao uso e preservação dos recursos hídricos locais, visto que o descarte inadequado do óleo no meio ambiente gera contaminação e possível escassez de água a longo prazo. Assim, a proposta de coleta de óleo é uma ação educativa que visa investir numa mudança de mentalidade em relação aos problemas ambientais.
O projeto é desenvolvido com a parceria da prefeitura local, por meio das secretarias de Educação e Esportes, Desenvolvimento Econômico, Ação Social, empresa Ecobio´s, Sicredi, que é a cooperativa madrinha da iniciativa, Sanesul, Programa Cooper Jovem, Câmara de Vereadores local, vereador Beto Nakayama, Coamo Agroindustrial Cooperativa, Produtos Caseiros Chácara Santa Maria, Pizzaria do Orlando, Restaurante e Marmitaria Caarapó Grill, Marmitaria Sabor Mineiro, Restaurante e Pizzaria Rekantus, Rádio Nossa FM 96,7, Vânia Buffet, Pastelaria Salgados e Cia, Pastelaria K Delícia, Panificadora Bom Gosto, Rotary Club e Vanzetto Refeições.
 
Os idealizadores do projeto dizem esperar que, no transcurso das ações, estudantes e comunidade possam adotar práticas sustentáveis em relação ao meio ambiente, entendendo que sua participação cooperativa é de essencial importância no processo de construção de um mundo melhor, passando a ser multiplicadores dos conhecimentos sobre práticas sustentáveis na sua comunidade ou bairro, desencadeando a construção de uma população cooperativa que resulte em mudanças de comportamentos em relação ao meio ambiente. Para a escola, a parceria entre cooperativas, parceiros, escola e comunidade viabilizam o fortalecimento, o conhecimento e a adoção de valores cooperativistas que influenciam na função social da escola e na formação integral dos estudantes, que, através de ações coletivas, aplicarão os conhecimentos construídos em situações da vida diária, resultando também em atitudes de respeito entre gerações, à diversidade e ao meio ambiente.
 

 
Dengue assusta população de Caarapó
24 de maio de 2015 às 10:19
Saúde deflagra megaoperação para eliminar focos do mosquito transmissor da doença; autoridades pedem apoio dos moradores
 
Prefeito Mário Valério com o secretário Ivo Benites e equipe envolvida no combate à dengue: reforço para prevenir o aumento dos índices de casos da doença - Foto: Dilermano Alves
Se a população não colaborar, Caarapó poderá entrar no ranking dos municípios onde a dengue atingiu patamares de epidemia. O alerta é do secretário municipal de Saúde, Ivo Benites, que recentemente se reuniu com o prefeito Mário Valério (PR) para informar os números relativos aos casos de dengue registrados no município.
 
De acordo com o secretário, os índices de infestação predial do mosquito Aedes aegypti já atingiram 1,25% na cidade – os índices aceitáveis não podem ultrapassar 1%. De Janeiro até o dia 19 deste mês ocorreram 94 notificações em Caarapó, com a confirmação de 19 casos de dengue através de exames laboratoriais. Os demais casos aguardam resultados de testes. “Diante da situação, afirmamos que estamos correndo sérios riscos de ocorrência de uma epidemia de dengue em nosso município”, alerta o secretário Ivo Benites.
 
O secretário observa que “o mosquito já se adaptou ao frio, e as chuvas que têm caído constantemente contribuem para o aumento dos criadouros do vetor e a consequente transmissão da doença”, acrescentando ainda que “o comportamento de parte da população, que não limpa o próprio quintal, favorecendo a proliferação do mosquito da dengue, é outro fator agravante para o aumento da dengue”.
 
Para fazer frente à situação, o prefeito Mário Valério determinou a intensificação das ações de combate à proliferação do mosquito da dengue e da febre Chicungunya. Estão sendo contratados 30 novos agentes de controle de vetores. “Cidades vizinhas já enfrentam uma verdadeira epidemia de dengue, e temos de fazer um esforço concentrado para livrar a nossa população desse perigo iminente”, justificou o prefeito de Caarapó.
 
Os novos agentes contratados se juntarão à equipe permanente de combate à dengue, que tem 14 profissionais de controle de endemias. Além dos agentes, o Setor de Controle de Vetores da Secretaria Municipal de Saúde possui um veículo de apoio, motocicleta, máquinas costais para aplicação de inseticida e laboratório entomológico equipado para exames de espécies com técnico treinado para esse fim.
 
As ações desenvolvidas no município ocorrem de forma intersetorial e envolvem a equipe de controle de vetores, os agentes comunitários de Saúde (ACS) de todas as unidades básicas de saúde do município, Departamento Municipal de Vigilância Sanitária, Departamento Municipal de Vigilância Epidemiológica, Departamento Municipal de Meio Ambiente e toda a estrutura das secretarias municipais, quando requerida.
 
As principais atividades de combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti compreendem visitas diárias a imóveis para pesquisa larvária, orientações educativas, aplicação de larvicida e de inseticida, palestras em unidades de ensino e outros locais, recolhimentos mensal de pneus em borracharias, que são encaminhados para reciclagem, identificação de espécies no laboratório de entomologia, mutirão de limpeza e notificações para limpeza de terrenos baldios, entre outras ações.
 
O secretário Ivo Benites esclarece que, com o reforço da equipe de controle de endemias determinado pelo prefeito Mário Valério, será possível realizar um trabalho “mais intenso na cidade e distritos, que envolverá a execução de diversas ações, como a eliminação de criadouros do mosquito da dengue, palestras e reuniões em unidades de ensino e outros segmentos da sociedade, abordando a situação local”, pontuou.
 
Benites afirmou que a administração municipal garante a assistência médica, tratamentos, exames e outros procedimentos a todos os pacientes. “Além disso, vamos intensificar as abordagens sobre dengue e febre chikungunya realizadas pelos agentes e reforçar as ações de vigilância em relação às notificações, investigações e atendimentos de denúncias pertinentes a possíveis focos e outras irregularidades em imóveis”, acrescentou.
 
“Pedimos encarecidamente a participação da população para que contribua no sentido de tomar todos os cuidados e medidas de prevenção em relação aos seus imóveis, para que possamos interromper imediatamente o princípio de epidemia de dengue  que ocorre em nosso município, pois além de gastos elevados contamos com sérios riscos até mesmo de óbitos por dengue.  Está comprovado que somente as ações do poder público não são suficientes para evitarmos a proliferação do vetor, é necessário que cada um cuide do seu imóvel. Por isso, pedimos o empenho de todos  e lembramos que o combate à dengue é dever do poder público, mas sem o envolvimento da população, não há como evitarmos a infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre Chikungunya”, conclamou o secretário Ivo Benites.
 

 
PRAZO PARA ALISTAMENTO MILITAR DENTRO DO PRAZO ENCERRA NO DIA 30 DE JUNHO DE 2015
22 de maio de 2015 às 00:00
O delegado Capitão Hugo Cesar Rodrigues Goulart, da 3ª Delegacia de Serviço Militar, e o secretário da Junta de Serviço Militar de Caarapó, Samuel Pereira de Souza. (Foto: Divulgação)
O prazo para o alistamento militar dentro do prazo no ano de 2015 termina no dia 30 de junho do corrente ano.  A informação foi prestada pelo Capitão Hugo Cesar Rodrigues Goulart – Delegado da 3ª Delegacia de Serviço Militar (3ª Del SM), com sede em Amambaí/MS.

A obrigação para com o Serviço Militar, em tempo de paz, começa no dia 1º de janeiro do ano em que o brasileiro completar 18 (dezoito) anos de idade e subsistirá até 31 de dezembro do ano em que completar 45 (quarenta e cinco) anos.

Ao ser alistado, dentro do prazo, todo o brasileiro receberá imediata e gratuitamente, do órgão alistador, o Certificado de Alistamento Militar (CAM).

Os documentos necessários para o alistamento são: - certidão de nascimento/carteira de identidade; - uma fotografia 3x4 cm, colorida ou preto-e-branco, recente; - comprovante de residência; - é desejável que o cidadão forneça: tipagem sanguínea e número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).
Podem ser aceitos como documento de identidade (desde que dentro da validade): - carteira de trabalho, passaporte brasileiro, carteira nacional de habilitação expedida pelo DETRAN, com foto; carteira de identidade expedida por órgão fiscalizador do exercício de profissão regulamentada por lei; outros documentos públicos com validade em todo o território nacional que permitam a identificação.
O brasileiro que não se apresentar para o alistamento obrigatório incorre na multa prevista no número 1 do art. 176 do Regulamento da Lei de Serviço Militar (RLSM).

O Capitão Goulart – Delegado da 3ª Del SM destaca que estará sujeito às penalidades da legislação em vigor o  cidadão que fizer declarações falsas aos órgãos do Serviço Militar.
Ressalta, ainda, a importância de se estar em dia para com o Serviço Militar, informando que nenhum brasileiro, entre 1º de janeiro do ano em que completar 19 (dezenove) e 31 de dezembro do ano em que completar 45 (quarenta e cinco) nos de idade, pode, sem fazer prova de que está em dia com as suas obrigações militares:

- obter passaporte ou prorrogação de sua validade;
- ingressar como funcionário, empregado ou associado em instituição, empresa ou associação oficial, oficializada ou subvencionada ou cuja existência ou funcionamento dependa de autorização ou reconhecimento do Governo Federal, Estadual, dos Territórios ou Municipal;
- assinar contrato com o Governo Federal, Estadual, dos Territórios ou Municipal;
- prestar exame ou matricular-se em qualquer estabelecimento de ensino;
 - obter carteira profissional, registro de diploma de profissões liberais, matrícula ou inscrição para o exercício de qualquer função e licença de indústria e profissão;
- inscrever-se em concurso para provimento de cargo público;
- exercer, a qualquer título, sem distinção de categoria ou forma de pagamento, qualquer função pública ou cargo público, eletivos ou de nomeação, quer estipendiado pelos cofres públicos federais, estaduais ou municipais, quer em entidades paraestatais e nas subvencionadas ou mantidas pelo poder público; e
– receber qualquer prêmio do Governo Federal, Estadual ou Municipal.

Para alistar-se o cidadão deverá comparecer a uma Junta de Serviço Militar do município, mais próxima do local de sua residência.

Em Caarapo a Junta de Serviço Militar esta localizada na Av. Presidente Vargas – 861, junto ao prédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

 
Mais Notícias
Advertisement
Advertisement
Advertisement
 
Advertisement